De sabor forte, deve ser usado em pequenas quantidades em à base de queijos, ovos, carnes, ovos, batatas e legumes. Também recomendado no preparo de e pães. Especiaria de sabor e levemente , o cominho é originário do e cultivado desde os tempos bíblicos. É muito popular na Ásia, onde integra várias misturas de especiarias, no México, norte da África e Nordeste brasileiro. Os celtas usavam suas sementes para condimentar peixes e, no Império Romano, servia como digestivo para os fartos banquetes e como substituto da pimenta em grão. O cominho é uma planta herbácea de 30 centímetros de altura. Ela possui frutos pequenos e alongados, com listras na parte externa e, no seu interior, encontram-se as sementes aromáticas. Uma de suas variedades, conhecida como cominho-negro, cresce no Irã e no norte da Índia e é muitas vezes confundida com a nigela. Também é muito parecido com a alcaravia (kümmel), embora possua sabor e muito diferentes.

Uso

Utilize os frutos inteiros ou moídos no preparo de picles, pães, sopas, queijos, carnes, aves, molho de tomate e saladas. No sul da Índia costuma-se fritar os frutos inteiros com manteiga e cebola para temperar feijão e lentilha. É essencial ao tempero de alguns países do Oriente Médio, como o Iêmen e a Arábia Saudita e, no Norte da África, é usado em cozidos de (tajines), em cuscuz e no ras-el-hanout, tempero marroquino que reúne cerca de 50 . É clássico no preparo de pães e de algumas carnes e queijos, como o munch, no Leste Europeu. Na Holanda são usados para condimentar queijos, doces e bolos. No México, é usado para temperar pratos com chili e . Destiladas, as sementes servem para a produção de licores.

Propriedades

Diurético, auxiliar no tratamento de flatulência (gases);

[ad#small-square]